Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Página inicial > Notícias > A importância da autoavaliação na educação a distância
Início do conteúdo da página

A importância da autoavaliação na educação a distância

Criado: Terça, 05 de Dezembro de 2017, 11h29 | Publicado: Terça, 05 de Dezembro de 2017, 11h29 | Última atualização em Terça, 05 de Dezembro de 2017, 11h29 | Acessos: 1135

Por Bruna Lopes Valente, publicado originalmente no Portal Administradores / Textos Acadêmicos, em 08/11/2017

 

A educação a distância é uma modalidade de ensino que vem ganhando cada vez mais espaço no mundo acadêmico. Diversas são as instituições que passaram a ofertar cursos a distância e é cada vez maior o número de alunos ingressantes nessa modalidade.

Em virtude da crescente demanda de abertura e procura por cursos na modalidade EAD, tamanho “crescimento requer maior atenção com as instituições que oferecem cursos à distância” (PINTO, 2009, p. 2). Logo, criar critérios de avaliação é algo muito importante, tanto para a instituição como para o aluno.

Segundo Caldeira (2004), é necessário que “haja uma preocupação em utilizar a avaliação como estratégia pedagógica e não como instrumento de verificação da aprendizagem” ou seja, não utilizar a avaliação apenas para verificar o nível de aprendizagem do aluno, mas também para buscar meios de preencher as possíveis lacunas no conhecimento adquirido por ele. Uma forma capaz de mensurar essas possíveis lacunas é a avaliação diagnóstica.

Blaya (2007 citado por Aparecida, Oliveira & Souza 2008, p. 2387), ao citar a avaliação diagnóstica, esclarece que tal modelo de avaliação tem como objetivo básico identificar as competências do aluno e adequá-lo a um grupo ou nível de aprendizagem, porém, esse resultado não deve ser utilizado como uma espécie de rótulo e sim “como um conjunto de indicações a partir do qual o aluno possa seguir em um processo de aprendizagem”.

Sendo assim, para que essas lacunas sejam preenchidas com maior eficácia, é necessário que a avaliação diagnóstica seja aplicada tanto pelo professor/tutor como pelo próprio aluno, através da autoavaliação.

A autoavaliação tem a função de causar no aluno “a reflexão sobre o próprio desempenho” (BIBIANO, 2010), sendo um meio eficiente para que, tanto aluno como professor, possam identificar e corrigir seus erros.

Pensando a respeito do assunto, é possível criar critérios de autoavaliação e aplicá-los. Os critérios podem ser os mais variados como desempenho, convivência social, autonomia, nível de aproveitamento do curso, entre outros.

Com base nesses critérios, é possível criar um instrumental de pesquisa para mensurar os indicadores a respeito da autoavaliação, com o propósito de avaliar o aluno sob as dimensões dos critérios utilizados.

Fazer uma autoavaliação não é algo fácil; é mais 'simples' alguém lhe fazer uma crítica do que você criticar a si mesmo. Porém, a autoavaliação é necessária, não só na educação, seja ela presencial ou a distância, mas é importante na vida. Com ela, é possível se conhecer melhor, saber o que você está de fato desenvolvendo e se está fazendo da maneira correta.

Então você, aluno, faça sua autoavaliação, verifique o nível de rendimento do seu curso, se você de fato está aproveitando como deveria e você, professor, faça o mesmo! A autoavaliação é válida tanto para o aluno como para o professor ou tutor, pois trata-se de um instrumental que só traz benefícios, tanto para um como para o outro.

registrado em:
Fim do conteúdo da página
-->