Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Página inicial > Notícias > EAD se consolida no Brasil
Início do conteúdo da página

EAD se consolida no Brasil

Criado: Terça, 04 de Junho de 2019, 11h15 | Publicado: Terça, 04 de Junho de 2019, 11h15 | Última atualização em Terça, 04 de Junho de 2019, 11h15 | Acessos: 47

O aumento no número de instituições no Brasil que oferecem o EAD (Ensino a Distância) confirma uma tendência que há quase duas décadas era rejeitada pela maioria dos acadêmicos e por muitas empresas na hora da contratação de profissionais.

De acordo com dados a Abmes (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior), o número de alunos matriculados nessa modalidade quase que dobrou em menos de dez anos. Em 2009, 838 mil alunos se matricularam em cursos de EAD, sendo que o número saltou para 1.756.982, em 2017.

O censo realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) em 2018, mostra que as matrículas em EAD no Brasil cresceram 17,6% de 2016 para 2017. A quantidade de cursos no país também aumentou nesse período, passando de 1.662 para 2.108, o que representa aumento de 26.8% em apenas um ano, o maior crescimento desde 2009.

Essa categoria de ensino apresenta muitas vantagens, como atender estudantes que moram longe dos grandes centros urbanos, onde se concentra a maioria das escolas e universidades de ensino presencial, flexibilidade para fazer o próprio horário e baixo custo em relação aos cursos presenciais, contando ainda com a economia de gastos com alimentação e transporte.

Ensino superior e pós-graduação

No entanto, para o bom aproveitamento do curso, é preciso atender a um perfil que exige disciplina e dedicação. Quem deseja fazer o ensino superior ou pós-graduação a distância, mas necessita de lista de presença como pressão para não faltar às aulas e do contato pessoal com professores e colegas de sala, deve esquecer o EAD. O estudante deve ter acesso a computador com programas atualizados e internet de qualidade e, o principal, muita disciplina para estudar as horas necessárias e cumprir as atividades exigidas.

Assim como os cursos presenciais, o EAD exige um mínimo de frequência para que o aluno seja aprovado. Esse controle é feito por meio das atividades no curso, como estudar o material que foi disponibilizado, preparando resumos e relatórios, fazer exercícios e participar de chats que promovem discussões e estudo de casos. Ao invés de professores, o estudante online terá tutores que acompanham seu dia a dia, fazendo cumprir a metodologia adotada.

A legislação brasileira exige, no entanto, que a avaliação ao final do curso seja feita de forma presencial. Por isso, quem pretende ingressar em um curso EAD de ensino superior ou pós-graduação, deve verificar o local das provas para se programar para as despesas de viagem e ausência do local de trabalho, por exemplo.

Quase tudo pode ser estudado a distância

Os cursos EAD se popularizaram de tal forma, que atualmente é possível estudar quase tudo a distância e obter um certificado.

Com o número de desempregados no país na casa dos 13,5 milhões, quem procura por uma colocação no mercado busca uma forma rápida e barata para adquirir um certificado e aumentar as chances de conseguir uma renda.

Cursos técnicos, de capacitação ou extensão sobre os mais variados assuntos podem ser encontrados em uma pesquisa rápida na internet. De técnico eletricista, passando por administração do próprio negócio, tem curso até para aprender a elaborar um currículo e aumentar as chances de conseguir um emprego.

Mas para aqueles que não têm tanta pressa e visam uma formação profissional de qualidade com o máximo de aproveitamento, é preciso avaliar muito antes de se matricular em um curso EAD.  

Texto: Cássia Caballero - publicado no Portal do Destak Jornal, em 27/05/2019. Leia o texto integral e original aqui

registrado em:
Fim do conteúdo da página
-->